5 mins read

Quanto tempo leva um pé de butiá para dar frutos?

Qual é a época do butiá?

A época ideal para a colheita é dos meses de dezembro a março através de técnicas simples de coleta com facões, o coletor retira em média 200 kg do fruto e depois pode ser processado em polpa, principalmente, ou vendido in natura.

Como cuidar de butiá?

Não precisa de podas nem de adubação para crescer. Resistente a geadas e secas prolongadas, a palmeira necessita apenas que seja plantada em local a pleno sol. Seu desenvolvimento, no entanto, é lento, exigindo paciência para aguardar de seis a 15 anos para o início da primeira produção de butiás.
Em cache

Como plantar um pé de butiá?

Abra com o dedo um espaço de 2 centímetros, molhe um pouco e acomode a semente. Mantenha o vaso em local iluminado e o substrato úmido, sem encharcá-lo. Em quatro meses, com uma folha de 10 centímetros, transfira a planta para um recipiente maior.
Em cache

Como podar o pé de butiá?

Evite realizar poda, já que a planta não precisa. O corte pode ser uma porta de entrada para doenças que prejudicam a palmeira, podendo inclusive matá-la. Não esqueça de regar bem o butiá após o plantio, prática que deve ser repetida a cada 20 dias, caso não ocorram chuvas no período.

Quanto tempo demora para nascer butiá?

A produção de mudas é feita por meio de técnica desenvolvida pela equipe de pesquisadores do DDPA para quebrar a dormência da semente de butiá, que pode levar até dois anos para germinar.

Pode comer o coquinho do butiá?

“O butiá possui em seu interior um caroço, semelhante ao do pêssego, esse não deve ser consumido por que é muito duro, mas no interior dele, existe uma amêndoa que é a semente do butiá que é comestível”, afirma Marene.

Como Adubar butiá?

Adubar a partir do terceiro ano com 50 gramas de N-P-K 10-10-10 distribuídos apenas superficialmente, cobrindo o adubo com 5 a 6 pás de esterco e sobre este folhas ou capim seco. É preciso fazer capinas regulares para que o mato não sufoque a planta. Usos: Frutifica de dezembro a fevereiro.

Quantos tipos de butiá existe?

Butia é um gênero composto por 20 espécies sulamericanas de ocorrência no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, nos campos, cerrados e restingas.

Qual o benefício do butiá para a saúde?

Além de ser versátil, o butiá também é saudável. Rico em carotenóides, precursores da vitamina A, possui altíssimos níveis de potássio e ferro, além de grande quantidade de vitamina C. O butiá também faz parte de expressões regionalistas, como “Me caiu os butiá do bolso” utilizada para demonstrar espanto.

Qual é o benefício do butiá?

De acordo com ela, o butiá é uma fruta versátil. Pode ser utilizada em infusões alcoólicas e não alcoólicas; pratos doces e salgados, como sorvete e molhos que servem como acompanhamento de carnes como frango, gado e porco.

Pode comer butiá?

Tradicionalmente, os frutos do butiazeiro são muito utilizado pelos nativos, sendo vendidos in natura na beira das estradas para o preparo de sucos ou aromatização de cachaça. Geléias, licores e molhos de butiá também são muito apreciado.

Para que serve o coquinho do butiá?

Butia capitata (Mart.) Becc. Sucos, sorvetes, geleias, licores, bolos e outros. As amêndoas do coquinho azedo podem ser utilizadas na produção de doces, pães, biscoitos, canjica e óleos.

Para que serve o caroço do butiá?

“O butiá possui em seu interior um caroço, semelhante ao do pêssego, esse não deve ser consumido por que é muito duro, mas no interior dele, existe uma amêndoa que é a semente do butiá que é comestível”, afirma Marene. O fruto é comumente utilizado como acompanhamento da cachaça, mas esse não é único uso do butiá.

Quais os benefícios do butiá para a saúde?

Essa fruta contêm folatos e antioxidantes que são conhecidos por reduzirem o colesterol e prevenir doenças cardíacas e derrames. Ele é rico em Vitaminas do Complexo-B como tiamina, piridoxina e folatos. A vitamina B é conhecida em aliviar o stress, ansiedade e depressão. A queima de gordura é acionado por ele.

Para que serve a folha do butiá?

— O uso de partes das plantas promove agregação de renda para as famílias, especialmente de agricultores familiares. A partir da existência de retorno econômico, é comprovada a maior proteção aos pés de butiá, e isso, inclusive, gera maior interesse pelo plantio de sementes e mudas — justifica Urruth.